Blog

eSaúde & PEP 2017 2017 reúne profissionais de TI

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
O congresso eSaúde & PEP 2017 promovido pela Sociedade Brasileira de Informática em Saúde e apoiado pela Hospitalar reuniu especialistas e executivos de instituições de saúde entre 18 e 20 de setembro, em São Paulo.

A cerimonia de abertura do evento contou com a participação do ministro da Saúde, Ricardo Barros, que criticou a demora na informatização das 40 mil Unidades Básicas de Saúde em todo o Brasil. Segundo ele, passados 17 meses desde o início de sua gestão, a meta de informatização ainda não foi alcançada: “Não estou satisfeito com a velocidade que o processo de informatização vem tendo, por isso vamos investir R$1,5 bilhão por ano para informatizar as 40 mil UBS’s em todo o Brasil”, disse.

A informatização dos sistemas de saúde é uma das prioridades da atual gestão. O objetivo é integrar o controle das ações, promover a correta aplicação dos recursos públicos, obter dados para o planejamento do setor e, principalmente, propiciar a ampliação do acesso e da qualidade da assistência prestada à população, tornando o atendimento mais eficiente. Não apenas na Atenção Básica, mas também no âmbito hospitalar. A medida ajudará também a reduzir custos, evitando, por exemplo, a duplicidade de exames ou retiradas de medicamentos.

O ministro também ressaltou a importância da parceria entre municípios, Estados e União para a implementação do prontuário eletrônico e falou a respeito da consulta pública aberta pelo ministério para a inscrição das empresas que pretendem fornecer os sistemas para os municípios. “Devemos credenciar centenas de empresas para que as prefeituras escolham qual delas deve atuar. Pagaremos uma mensalidade para que essa informação nos seja fornecida e com isso garantiremos a funcionalidade do sistema para que ele não sofra interrupções”, explicou.

O eSaúde & PEP 2017 contou ainda com diversas discussões técnicas no âmbito da segurança da informação na saúde, Big Data e Analytics, interoperabilidade para a continuidade do cuidado, pesquisa TIC Saúde 2016, e teve ainda um painel dedicado a tratar dos avanços da saúde digital no Brasil.